Afinal, o que é pronome neutro?

20 de janeiro de 2022


A escolha do pronome correto para os casos em que o gênero de uma pessoa é desconhecido ou não está de acordo com as normas sociais é um tema que tem sido muito discutido e debatido. Os livros de gramática explicam que há os pronomes de gênero “ele” e “ela” para se referir a um indivíduo na terceira pessoa. Como os pronomes de gênero neutro só recentemente se tornaram mais comuns, é provável que você não tenha certeza de como usá-los ou mesmo não saiba o que é pronome neutro.

LEIA TAMBÉM: Propostas para uma sala de aula envolvente

O que é pronome neutro e qual seu objetivo? 

O gênero neutro propõe uma terceira letra para além do “a” e do “o”, as chamadas vogais temáticas, como forma de não especificar gênero do indivíduo e se referir a todas as pessoas. Por exemplo, ao invés de dizer “bem-vindo” ou “bem-vinda”, se diz “bem-vinde”. Em relação ao pronome neutro, ‘ele’ e ‘ela’ podem se tornar ‘elu’/’delu’, por exemplo, visto que o masculino é marcado com a letra “e” aqui. Acontece que as discussões sobre o que é pronome neutro e como funciona o pronome neutro têm rendido muitas polêmicas.

Por um lado, seu uso é recomendado como uma das etapas mais críticas da inclusão, vide as práticas sugeridas por um estudo de 2010 da GLSEN (Gay, Lesbian & Straight Education Network, organização educacional norte-americana) para a criação de salas de aula seguras. Segundo a pesquisa, discutir a identidade e a expressão de gênero, bem como os construtos sociais sobre o tema, poderia ajudar os alunos a aceitarem melhor as identidades uns dos outros.

Por outro, entra-se em questões linguísticas sobre as concepções sociais e gramaticais de gênero em um idioma, já que os gêneros gramaticais não necessariamente têm o sexo como critério de distinção. Exemplos disso são as palavras “pessoa”, “criança”, “gente” e “indivíduo”, em que fica claro que gênero gramatical não é o mesmo que biológico. 

No português, a forma neutra coincide com a masculina em vários casos (por geralmente terminar em “o”), o que leva muitas pessoas a pensarem que uma estrutura está no masculino, quando na verdade, é neutra. O debate sobre o que é pronome neutro fica ainda mais complexo quando pensamos que algumas línguas, como chinês e persa, não atribuem um gênero aos substantivos ou já possuem uma forma neutra de gênero para as pessoas. Quando analisamos o latim, por exemplo, vemos ainda que o idioma possui três gêneros: o masculino, o feminino e o neutro. 

E você, o que pensa sobre a linguagem neutra? Há uma forma de converter os dois pontos de vista em prol da inclusão?