Aprender a aprender: como estimular a autonomia dos alunos?

18 de julho de 2022


Como estimular o interesse pelo estudo? Essa é uma pergunta que ronda a cabeça de muitos educadores e a medida em que apoiam as necessidades de autonomia dos alunos, pouco a pouco encontram uma resposta a ela.

Apoiar à autonomia envolve a criação de relacionamentos que nutrem a motivação e é o oposto de controlar ou pressionar a classe a pensar, sentir ou se comportar de uma maneira particular. Pelo contrário, alunos de professores que apoiam a autonomia exibem comportamentos de aprendizagem mais positivos e alcançam melhores resultados.

Nessa realidade, aprender a aprender é essencial. Mas, como? 

Como estimular a autonomia dos alunos?

A metacognição pode ser o caminho!

O conceito está relacionado à consciência e ao automonitoramento do ato de aprender. Na sala de aula, refere-se ao conhecimento do aluno sobre seu próprio processo de aprender e pensar, ou seja, permite que se entendam, regulem e direcionem os esforços e comportamentos em direção aos seus objetivos.

Inclusive, fora da escola, envolvendo todas as experiências de aprendizagem e de vida. Logo começam a se perguntar coisas importantes, vide:

  • Como viver uma vida feliz?
  • Como me tornar um ser humano melhor?
  • Como me sentir bem comigo mesmo?
  • Como entender as perspectivas de outras pessoas?

Interessante, não é? Quer descobrir maneiras de trabalhar a autonomia dos alunos e ajudá-los a refletir sobre o aprender a aprender em sua sala de aula? Então confira algumas estratégias que melhoram a metacognição!

LEIA TAMBÉM: Quais tipos de metodologia de ensino são tendência atualmente? 

  1. Ensine sobre o cérebro

As crenças que os estudantes têm sobre a aprendizagem e seus próprios cérebros afetarão seu desempenho. Por isso, é importante entender e aplicar uma mentalidade de crescimento. Uma forma de estimular isso é ensinar sobre a ciência da metacognição e como ela age, ajudando-os a entender como podem, literalmente, desenvolver seus próprios cérebros.

  1. Ofereça oportunidades para refletir sobre as aulas

Essa estratégia permite discussões amplas em grupo e perguntas abertas direcionadas individualmente, como:

  • Como seu pensamento sobre o tema de hoje mudou desde que estudamos o conteúdo?
  • Antes desta aula, eu pensava que _______. Agora eu entendo que _______.
  1. Façam diários de aprendizagem

Uma maneira de monitorar a evolução da aprendizagem é montar uma progressão e se autoavaliar. Para isso, atribua perguntas semanais que ajudem os estudantes a refletir sobre como aprenderam, não sobre o que aprenderam:

  • O que foi mais fácil aprender esta semana e por quê?
  • O que foi mais desafiador e por quê?
  • O que farei diferente da próxima vez?

O sucesso do estímulo à autonomia dos alunos vem de fazer perguntas que despertem o processo de pensamento em vez daquelas que exigem uma resposta fixa. 

  1. Dê aos alunos tempo para passarem com eles mesmos

Ao dar-lhes tempo para estarem consigo mesmos, você oferece a chance de deixar suas mentes vagarem. O tédio desperta a criatividade e o pensamento crítico, habilidades essenciais para desenvolver todo o potencial dos jovens e despertar o interesse pela aprendizagem ao longo da vida.