Aprender brincando: ensine sobre equidade utilizando o ciclo das plantas

15 de abril de 2021


Aprender brincando, na Educação Infantil, tem especial repercussão por toda a vida. Crianças que passaram por essa fase com o apoio do lúdico têm maior desenvolvimento social, níveis mais sofisticados de interação com os outros e desenvolvem habilidades de fala e linguagem, bem como de escuta com mais facilidade. Diante de tanta eficácia, por que não promover a exploração do brincar para ensinar conceitos como equidade e igualdade?

LEIA MAIS: Por que a primeira infância é tão importante para o desenvolvimento do cérebro?

A necessidade de trabalhar com essas temáticas na escola é urgente, tanto fomentando-as teoricamente como na prática. Inclusive, como parte do cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4, que busca “assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. Parece fácil falar, mas não fazer? Talvez seja porque o caminho escolhido quando se trata de debater equidade está atrasado em muitas escolas e o assunto é considerado complicado. Porém, essas conversas não precisam ser assim, principalmente na Educação Infantil, elas podem começar com metáforas simples. Utilizando, por exemplo, o ciclo da natureza.

Aprender brincando com as plantas

Cultivar um jardim e cultivar a consciência das diferenças entre equidade e igualdade têm muitos paralelos. Com a ajuda do ensino de Ciências, pode funcionar como um catalisador para diversas discussões. Além de um tema divertido, aprender brincando sobre os ciclos de vida e as plantas pode ilustrar como diferentes pessoas precisam também de coisas diferentes para serem nutridas. Assim como a igualdade e a equidade diferem. 

Exemplificando os termos dentro da educação, garantir que todos os estudantes tenham acesso igual aos recursos é uma meta importante. No entanto, a verdade é que alguns precisam de mais para chegar lá. É aqui que entra a equidade. Os discentes que estão com algum tipo de defasagem, devido a fatores externos, precisam de mais desses recursos para recuperar o empenho, ter sucesso e, eventualmente, fechar a lacuna que os distancia dos demais. Oferecer aos que chegam à escola com dificuldades os mesmos recursos que os outros não eliminará os obstáculos, mas garantir que suas dificuldades sejam olhadas com mais atenção e fornecer ferramentas individuais, sim. É o mesmo com as plantas.

Equidade e igualdade na natureza

Apresente à classe o tema da lição: o ciclo de vida das plantas. Explique que, para a maioria, começa com uma semente e termina com uma planta totalmente crescida. Ao falar das necessidades específicas de cada uma, aponte as diferenças. Quais são as variações de luz solar, água, sombra e profundidade do solo que precisam para crescer? Aliás, qual o poder do sol sobre a vida? De forma lúdica, sempre partindo do aprender brincando, faça com que a turma desenhe as variadas respostas de cada espécie à medida que você continua a guiar a conversa. O objetivo é levar os estudantes à conclusão de que as plantas precisam de diferentes nutrientes e processos para crescer e, a partir daí, exemplificar como a igualdade e a equidade funcionam para a vida humana.

Para envolvê-los nas explorações, coloque algumas sementes e lentes de aumento em uma mesa para observação. Convide a turma a investigar e depois desenhar suas observações em um caderno. Fale sobre como as sementes são diferentes e como são semelhantes. Sugira às crianças que façam previsões sobre o que acham que uma semente precisa para se transformar em planta. Considerando as diferentes etapas da Educação Infantil, envolva-os em uma discussão sobre o que eles sabem sobre plantas. Uma ideia é dizer à turma sobre a essencialidade de certos elementos básicos, como água, terra e sol, no processo de crescimento. Escreva ou desenhe essas palavras no quadro e as relacione com os direitos básicos humanos. 

Aqui é oportunidade também para comparar e contrastar as plantas de jardim. O manjericão precisa de mais água? Os girassóis de muita luz solar? Quais as necessidades das plantas que eles têm em casa? Depois de estabelecerem as semelhanças e diferenças, não esqueça de fornecer o contexto. São todas plantas, com qualidades e necessidades distintas, fazem parte da natureza e provêm o ciclo da vida. A partir daí, traga a metáfora para a sala de aula, quais semelhanças e diferenças eles veem quando se olham?

As plantas, o eu e o outro na Educação Infantil

Depois de estabelecer as bases, pergunte à turma o que aconteceria se tratássemos todos igualmente, ignorando as necessidades específicas de cada um. Envolva-os em diversas investigações, mas deixe a conversa aberta para a interpretação das crianças. É importante no processo de aprender brincando dar vazão à imaginação. Se a escola tiver algum espaço verde, essa conversa pode acontecer lá (no caso de aulas que acontecem presencialmente), para que estejam plenamente inseridos. Aqui é oportunidade para explicar claramente o que são os conceitos de igualdade e equidade e deixar que as crianças escolham qual é mais adequado para a jardinagem e para suas vidas.

Todos nós precisamos das mesmas coisas para aprender e crescer? Dar exemplos práticos ajuda e muito. Estes exemplos não precisam ficar presos ao conteúdo acadêmico, podem envolver toda a rotina de vida das crianças. Inclusive, partindo deles mesmos. De pouco em pouco, sem perceber, no meio do aprender brincando, chegarão ao entendimento de que assim como as plantas, todos nós precisamos mais de algumas coisas e menos de outras. Bem como entender que o mais importante é darmos uns aos outros apoio para crescermos.

Fonte: Teaching the Concept of Equity in Elementary School Through Gardening; ODS 4 – Educação de Qualidade.

Conheça o Portal de Educação Infantil da Editora do Brasil!