Aula online com foco no ensino socioemocional é possível?

30 de abril de 2021


Com o isolamento ocasionado pela pandemia de Covid-19, a maneira como interagimos socialmente mudou. Tudo ocorre por meio de telas, seja a aula online, o tempo com os amigos e até com alguns familiares. Conforme o tempo de confinamento é prolongado, as consequências dessa falta de interação presencial podem se alastrar para a saúde emocional de todos, principalmente em se tratando das crianças e jovens, que vivem uma fase onde a socialização é decisiva para suas formações. 

Incluir estratégias que enfoquem o  ensino socioemocional na escola pode ajudar nessa questão, mesmo que a modalidade predominante ainda seja o ensino remoto. No contexto atual, em que o vídeo é a ferramenta de ensino predominante, subvertê-la como promotora da aprendizagem autônoma, permite análise e reflexão da realidade atual. Com recursos de vídeo educativo, se pode projetar atividades para o ensino socioemocional que ajude os estudantes a identificar suas emoções, compreendê-las e localizá-las, mas principalmente saber regulá-las, considerando suas esferas física, social e emocional.

Na utilização do vídeo como recurso didático na sala de aula online, o professor desenha as atividades de acordo com os objetivos de aprendizagem que pretende abordar, seleciona  o material necessário e define o produto que os estudantes entregarão. Essas atividades devem estimular o desenvolvimento de habilidades e competências, como pensamento crítico, criatividade e trabalho colaborativo, ao mesmo tempo em que zela pela saúde emocional de todos.

Ferramentas para ensino socioemocional na aula online

Para trabalhar o ensino emocional na aula online por meio de vídeos didáticos, pode-se utilizar diversas metodologias e ferramentas. Desde a produção de vídeos com formatos tradicionais à utilização de redes sociais ou outras aplicações que permitem um trabalho mais elaborado. Elas atraem o interesse e a participação dos estudantes porque são ferramentas conhecidas e fazem parte do seu dia a dia, como as redes sociais.

Stopmotion

O Stopmotion é uma técnica de vídeo que dá movimento a objetos estáticos tirando várias fotografias. Necessita de uma câmera (por exemplo, a câmera do celular) e um aplicativo que sequencie e anime as imagens. Acessando a Play Store ou Apple Store você encontra muitas opções gratuitas. Para trabalhá-lo na sala de aula online, um exemplo de atividade com essa ferramenta é escolher uma temática dentro da sua disciplina e contar histórias a respeito dela. Feito isso, peça a turma para evocar uma memória de acontecimentos positivos relacionados, trazendo-os ao presente para curtir aqueles momentos felizes. É uma forma de trabalhar a gestão das emoções e enfrentar a questão do isolamento social. Fazer vídeos também desenvolve habilidades artísticas, criativas e tecnológicas.

Flipgrid

O Flipgrid é uma plataforma gratuita que promove o aprendizado, a interação e o feedback entre colegas e professores. Ao gravar vídeos curtos, os estudantes podem responder a perguntas, dar feedback ou refletir sobre um determinado assunto, bem como assistir e responder a vídeos feitos pelo restante da turma. O professor abre o espaço dentro da plataforma, coloca as instruções da atividade e fornece o link de acesso. Os estudantes entram e ativam seus computadores ou câmeras de telefones celulares e gravam seus vídeos para a tarefa atribuída. Essas atividades promovem o pensamento crítico, a análise, a reflexão e, principalmente, a comunicação efetiva, pois, na duração estabelecida para o vídeo, devem cumprir a tarefa.

TikTok

O TikTok é a rede social do momento e permite fazer vídeos curtos, adicionar música, filtros ou efeitos especiais sem ter profundo conhecimento de edição. O desenvolvimento de atividades escolares por meio dessa mídia promove a comunicação eficaz, o pensamento crítico, a criatividade e o trabalho colaborativo. As ideias de trabalho são muitas, para o Ensino Fundamental, por exemplo, é possível criar vídeos sobre como gerenciar emoções ou contando o que custou mais esforço para se adaptar à escola no formato aula online. Para os estudantes do  Ensino Médio, que tal pedir que criem um vídeo que mostre como é complicado decidir qual carreira escolher e a incerteza que isso cria para o futuro? É também boa ideia criar vídeos sobre o fechamento do Ensino Médio e sua passagem para a faculdade, estágio profissional e suas implicações.

YouTube

O YouTube é de acesso gratuito e já muito conhecido por todos. Filmes, musicais, documentários, transmissões ao vivo e vídeos caseiros são alguns exemplos do conteúdo encontrado na plataforma. Mesmo antes do contexto da educação a distância, já havia categorias como os Edutubers – professores youtubers, voltada para a concepção de conteúdos educacionais sobre diversos temas.

Entre os usos que podem ser dados à plataforma, selecionar criteriosamente o material a ser adaptado às aulas online, abrir um fórum de discussão ou promover reflexões temáticas são algumas opções. Da mesma forma, o estudante que faz seu vídeo pode ser solicitado a carregá-lo na plataforma em formato público ou privado e compartilhar o link com o professor. Utilizando-a como reflexão socioemocional na pandemia, é possível pedir à turma que desenvolva um tutorial sobre os hobbies mantidos nesse momento. Eles podem convidar as famílias a participar e compartilhar essas informações sobre si mesmos com seus colegas de classe. Simultaneamente, desenvolvem habilidades eficazes de comunicação, síntese e criatividade.

Sem dúvida, a pandemia tem sido um desafio complicado de resiliência e empatia na educação. Ao buscar trabalhar o ensino socioemocional nas aulas online, os educadores têm a chance de fortalecer o vínculo gerado entre os estudantes ao percebem que todos compartilham as mesmas emoções, preocupações ou medos.