Como fomentar o protagonismo e a autonomia na Educação Infantil?

15 de junho de 2021


Ceder o protagonismo no processo de ensino-aprendizado e fomentar a autonomia na Educação Infantil significa fazer com que as crianças saibam que têm controle sobre si mesmas e sobre as escolhas que fazem. Aprender como ser independente é uma habilidade crítica e necessária para desenvolverem, já que este é um ensinamento para o hoje e o amanhã, à medida que assumem mais responsabilidades ao decorrer da vida.

Como uma coisa leva à outra, crescendo amparadas por esse estímulo protagonista, as crianças exploram o mundo por conta própria e descobrem como se expressar nele. Também começam a entender como suas escolhas e ações influenciam os resultados, que nem tudo poderá ser controlado e não há problema algum em lidar com a frustração. Nesse caminho, a autonomia na Educação Infantil deve ser encorajada para ajudar as crianças a desenvolverem um senso de identidade. 

BANNER_EDUCA EI

O que diz a BNCC sobre o protagonismo e a autonomia na Educação Infantil?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) defende para o segmento alguns direitos de aprendizagem e desenvolvimento. Todos, de certa forma, resultam no trabalho com o protagonismo e o incentivo à autonomia das crianças. São eles: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.

  • Conviver com outras crianças e adultos utilizando diferentes linguagens, amplia o conhecimento sobre si e sobre o outro.
  • Brincar, em diferentes espaços e tempos, com múltiplos parceiros, amplia seus conhecimentos, imaginação, criatividade, experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.
  • Participar, ativamente e não como espectador passivo, tanto do planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo educador, quanto da realização das atividades da vida cotidiana, como a escolha das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes. 
  • Explorar, de movimentos a conhecimentos e emoções, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a cultura em suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.
  • Expressar-se como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões e questionamentos.
  • Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e dos grupos aos quais pertence.

Possibilite experiências e o poder de escolha 

Embora não se possa esperar que as crianças tenham controle total de todos os aspectos de suas vidas, elas precisam sentir que têm domínio sobre certas partes para criar confiança. Quando uma criança faz suas próprias escolhas, ela resolve problemas e adquire gosto pelo pensamento crítico. Ou seja, fazer escolhas significativas é uma parte essencial de seu desenvolvimento cognitivo, que cresce à medida que pensa nas possibilidades que lhes são apresentadas. 

Permitir que as crianças façam suas próprias escolhas é o primeiro passo para encorajar a autonomia na Educação Infantil. Quando possível, configure um ambiente no qual muitas opções estejam disponíveis. Ofereça também responsabilidades reais. As tarefas devem ser um tanto desafiadoras para ajudá-las a desenvolver perseverança. Em casa, as famílias podem ajudar ao abraçar as opiniões dos filhos e permitir que tomem decisões independentes, dentro do que é possível.

Fonte: Educação é a Base.