Crianças devem aprender a codificar?

15 de setembro de 2021


As crianças de hoje nasceram em um mundo digital. Isso, para alguns, determina que o conhecimento de informática é tão fundamental quanto ler, escrever e ter noções básicas de Matemática. Nessa lógica, aprender a codificar não apenas preparará os estudantes para carreiras em STEM – sigla em inglês para Science, Technology, Engineering and Mathematics (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em português), como também lhes dará uma compreensão melhor das máquinas com as quais interagirão pelo resto de suas vidas.

A ciência da computação é a nova linguagem do mundo e também uma das ocupações com crescimento mais rápido. Quase tudo em nossas vidas diárias depende de softwares e hardwares. As crianças precisam aprender a codificar porque os computadores e outros dispositivos conectados integrarão o mundo à medida que crescem, assim como a Física, Matemática, Química e Biologia moldam também o nosso agora.

Vários estudos mostram que, em cerca de vinte anos, a incapacidade de codificar será tão preocupante quanto o analfabetismo é hoje. Segundo um estudo da UnB, por exemplo, 30 milhões de empregos serão substituídos por máquinas e softwares até 2026. Parece radical, mas é só o princípio das transformações que vêm por aí. Ensinar crianças a se posicionar nessa realidade fará toda a diferença.

Aprender a codificar é como aprender um novo idioma 

Ensinar crianças a programar quando ainda são pequenas é importante, porque suas mentes são mais flexíveis e abertas. Para elas, aprender a codificar é como aprender uma língua estrangeira, muito mais fácil quando se é jovem. Como recompensa, esse processo aumentará a confiança e criatividade desde cedo. Assim como a arte e o artesanato são uma forma de se expressar, a codificação pode ser uma habilidade envolvente, divertida e capacitadora.

Outro ponto importante é que aprender técnicas de codificação ajuda a desenvolver habilidades de pensamento crítico e processos de resolução de problemas, que não são importantes apenas na ciência da computação, mas em todos os aspectos da vida. Por exemplo, a codificação ensina a dividir grandes desafios em tarefas menores e mais gerenciáveis. Ao pensar em etapas, trabalha-se senso de direcionamento e foco, além do reforço nas conexões lógicas, que as ajudarão a aprender como analisar adequadamente diferentes situações no presente e no futuro.

Quer mais motivos para repensar o ensino da codificação na sua escola? Segundo um estudo publicado pela Unesco, intitulado “Decifrar o código: educação de meninas e mulheres em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM)”, em todo o mundo, apenas 30% das mulheres na educação superior escolheram campos de estudo relacionados a uma dessas quatro áreas. O incentivo às escolas para aprender a codificar a partir do emprego da metodologia STEAM tem o poder de mudar isso e tornar as áreas do conhecimento mais equilibradas.

LEIA TAMBÉM: Meninas na Ciência: a escola pode ajudar a reduzir desigualdades de gênero?