Dia do Leitor: confira dicas de leitura para a sua sala de aula

5 de janeiro de 2022


Ler é abrir um portal mágico para a diversão e para o conhecimento ao mesmo tempo. Quem gosta de ler nunca está sozinho ou entediado, tem sempre a frente uma infinidade de descobertas e, justamente por isso, recebe todas as dicas de leitura de coração aberto. Foi em homenagem a essas pessoas que criou-se o Dia do Leitor, celebrado anualmente no dia 7 de janeiro.

A data comemorativa é uma homenagem ao jornal cearense “O Povo”, fundado pelo poeta e jornalista Demócrito Rocha, neste dia em 1928. O veículo tinha um suplemento chamado “Maracajá”, usado pelo movimento modernista literário cearense para se divulgar. Para seguir honrando a data, que tal pensar em maneiras de endossar a importância da leitura em sua sala de aula?

Maneiras de incentivar a leitura em sua sala de aula

Todos nós queremos que nossos alunos se tornem leitores e que mantenham o hábito além da sala de aula, ou seja, não apenas quando precisam, mas também porque querem. Nessa jornada, algumas dicas para a leitura e dicas de livros fazem toda a diferença. Começando pelo básico: permita que seus alunos (especialmente leitores relutantes) leiam o que quiserem, desde que seja apropriado para a escola.

Quadrinhos, best sellers, tirinhas, livros escritos por Youtubers, livros sobre programas de TV ou filmes… Literatura clássica é importante e, com paciência, todos os seus estudantes podem chegar a tomar gosto por ela, mas para o aluno que ainda está lutando para simplesmente ler, garantir que o conteúdo seja divertido e motivador é importante.

Além disso, é legal não transformar a leitura por prazer em trabalho extra. Evite exigir que escrevam relatórios de livros ou respondam a um monte de perguntas de compreensão sobre os livros que leem por prazer. Demonstre a importância da leitura criando amor pelos livros.

Uma boa ideia, também, é começar um clube do livro em torno de gêneros diferentes ou incentivar a turma a escolher as leituras. Além do bate-papo sobre a obra, experimente outras atividades relacionadas à leitura. Desde ver os filmes que a adaptem, até reproduzir elementos da gastronomia, design, cultura ou quaisquer fatores que chamem atenção na obra. 

Dicas de leitura da Editora do Brasil

Para ajudar a envolver seus alunos e criar um hábito de leitura a partir da sua sala de aula, separamos algumas dicas de livros especiais dentre os lançamentos de 2022 da Editora do Brasil: 

Frederico, Frederico…

Nessa dica de leitura, temos um garoto esperto e teimoso que consegue enxergar o mundo de uma forma especial. Para Frederico, menino serelepe e questionador, o mundo não é feito de obstáculos, mas de oportunidades. Sim, Frederico crê que para tudo nessa vida há jeito. Ele encafifou que quer ser doutor. E, quando Frederico coloca algo na cabeça, não tem quem tire ela de lá! Nem mãe, nem pai, nem avô, nem avó… E por que não? Uma criança pode ser o que quiser quando crescer, é só acreditar! Uma belíssima reflexão sobre identidade, negritude, racismo e empoderamento aguardam os leitores de Frederico, Frederico…

De Memes e Memórias

Em De Memes e Memórias, lembramos o quanto nossa vida na era da tecnologia é cheia de memes, posts, memórias e notícias (infelizmente, até as que são fake news). A linha do tempo na rede social de um escritor tem um pouco de tudo: textinho, textão, brincadeiras, desabafos, desafios… Um verdadeiro baú de tesouros escritos e comentados! Leo Cunha mergulhou no próprio baú cibernético para reunir alguns de seus posts favoritos, crônicas da contemporaneidade tecnológica, para compor este livro divertido e reflexivo que fala sobre tudo aquilo que a gente nem imagina que nos interessa. Uma leitura essencial e curiosa para jovens e adultos que amam uma boa crônica.

Meu Avô, Os Livros e Eu ou Como Resistir em Tempos Incertos

Pandemia, isolamento, aulas pela internet, distanciamento social… Ninguém merece ficar trancado dentro de casa por tanto tempo.  Mesmo respeitando rigorosamente o isolamento, Natália quer e precisa viver uma aventura. Ela tem uma vantagem: um avô muito legal que a convidou para uma viagem literária (sem sair de casa, claro). Os caminhos percorridos por eles seguem por vários livros, de autoras e autores brasileiros, que representam nossa literatura de uma maneira ímpar. O diário de viagem de Natália e seu avô traz temas incrivelmente atuais como o racismo e a representatividade, tendo como pano de fundo o momento infelizmente terrível que o mundo atravessa com a pandemia. Literatura juvenil de formação com muita qualidade é o que espera os leitores de Meu Avô, Os Livros e Eu ou Como Resistir em Tempos Incertos.

Revista Arco 43