Entenda a importância do letramento científico desde a Educação Infantil

28 de junho de 2021


No Ensino Fundamental, o letramento científico faz parte das recomendações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para garantir que os alunos compreendam e interpretem conhecimentos nos mais diferentes contextos. Considerando sua definição referente à compreensão de conceitos científicos e a capacidade de pensá-los e aplicá-los sob uma perspectiva científica, essa deve ser uma preocupação desde a Educação Infantil.

Confira também: O que é o método fônico de alfabetização?

Há uma compreensão e reconhecimento crescentes do poder do pensamento e aprendizagem das crianças, assim como uma crença de que a ciência pode ser um domínio particularmente importante na primeira infância, servindo não apenas para construir uma base para a compreensão futura, mas também para construir habilidades importantes e atitudes para a aprendizagem. BANNER_EDUCA EI

Como trabalhar o letramento científico na Educação Infantil?

É possível trabalhar o letramento científico na Educação Infantil por vários caminhos, porém, diferentemente de outros segmentos, este exige mais experiências lúdicas e menos teoria. Ajudar as crianças a expandir seu vocabulário é uma das melhores maneiras de garantir que se tornem leitores e escritores bem-sucedidos. É também uma forma eficaz de ajudá-las a aprender conceitos científicos. Para refletir sobre e explicar por que algo pode acontecer, as crianças precisam conhecer palavras para expressar esses pensamentos.

Uma dica é modelar o vocabulário relacionado à ciência usando termos científicos, à medida que os alunos interagem com materiais e experiências planejadas. Incentive conversas significativas e expanda o que elas dizem. Forneça oportunidades para o uso de linguagem relacionada à ciência e envolvimento em experiências práticas que aprofundem a compreensão sobre as palavras. Faça perguntas abertas que promovam habilidades de previsão e de resolução de problemas: “Agora que congelamos a água em todas essas formas interessantes, qual delas você acha que vai derreter mais rápido? Como podemos descobrir se estamos certos?”. Deixe que as crianças façam suas próprias previsões, experimentem e observem o que funciona e por que.

 A ciência não precisa ser uma experiência formal em um laboratório. Nosso mundo é feito de ambiente natural e pelo homem, e esses contextos fornecem inúmeros pontos de partida para a exploração. Transformar atividades cotidianas, como cozinhar, em atividades científicas também é uma boa ideia. No trabalho de letramento científico, as investigações fornecem uma oportunidade para as crianças aprenderem sobre conceitos complexos, ouvirem seus colegas e familiares e responderem às suas perguntas ou ideias. Também lhes dá a oportunidade de construir persistência e melhorar a autorregulação, que são essenciais para o futuro sucesso acadêmico. 

Que tal pedir ajuda da família?

À medida que o mundo se torna cada vez mais orientado para a ciência e a tecnologia, todas as crianças precisam se tornar proficientes em ciências, seja qual for o campo escolhido. A educação STEAM (integração de conhecimentos de Artes, Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática), por exemplo, tornou-se uma prioridade e até mesmo os professores da Educação Infantil devem aumentar a quantidade e a qualidade das experiências em ciências que oferecem.

Ao melhorar as experiências científicas da primeira infância, os pais podem ser  aliados poderosos do letramento científico. Sabemos o valor que os pais atribuem ao desenvolvimento das habilidades de alfabetização de seus filhos. As crianças só tendem a se beneficiar da capacidade de construir conhecimento e desenvolver habilidades de leitura e escrita – por meio de uma variedade de experiências, tópicos e propósitos.

Também é crucial que elas assumam a liderança desse processo. E enquanto fazem observações e descobrem a melhor maneira de registrar os resultados, os professores e pais podem acompanhar fazendo perguntas como: “E se …?” e “Por que você acha isso?”. Lembre-se de que não é importante para ninguém fazer previsões corretas, conduzir investigações organizadas ou saber a “resposta certa”. Em vez disso, o componente essencial é que as crianças e os adultos que os orientam embarquem no processo de investigação juntos, façam perguntas, colaborem e se divirtam.