Escola e família: como aproveitar a conexão com os pais?

20 de outubro de 2021


Escola e família são dois núcleos base da vida de uma criança, devem caminhar lado a lado sempre. Apesar do enorme impacto do ensino à distância sobre os pais, ele ofereceu pelo menos um resultado positivo: boa parte se sentiu mais conectada à educação de seus filhos em 2020/2021 do que nos anos anteriores. Segundo a pesquisa Educação Não Presencial na Perspectiva dos Estudantes e Suas Famílias, realizada pelo Datafolha, Itaú Social, Fundação Lemann e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento),  as famílias passaram a respeitar mais os professores neste tempo.

BANNER_EDUCA EI

De acordo com o levantamento feito com mais de 1,3 mil pais de alunos, 89% dos entrevistados reconheceram que os docentes têm um trabalho mais desafiador do que acreditavam antes do início da pandemia. A mesma porcentagem acredita que, para dar aulas, é preciso estar mais preparado do que se imaginava. Agora, com a maioria dos alunos de volta às salas de aula, como os educadores podem tirar proveito dessas conexões antes que se desgastem? 

Escola e família

Não é segredo que as escolas buscam ativamente promover interações e relacionamentos mais próximos e eficazes entre elas e as famílias de seus alunos. Também não há dúvida de que a qualidade da aprendizagem só tem a melhorar com a parceria escola e família, com os pais como co-educadores na jornada.

LEIA TAMBÉM: Ser professor no Brasil: desafios da docência.

Boas parcerias refletem no desenvolvimento e no bem-estar das crianças, mas também têm benefícios para o educador e os pais, já que estudantes cujas famílias estão envolvidas na escola têm, geralmente, desempenho melhor, sentem-se valorizadas e importantes e desenvolvem habilidades sociais positivas por meio dessa observação de uma relação família e escola fundada em respeito.

Ações e estratégias para aproximar a família da escola

Uma comunicação eficaz é essencial para a construção de parcerias entre escola e família, pois constitui a base para todas as outras formas de envolvimento na educação. Para os educadores, o caminho mais curto para cultivar essas relações é conhecer quem são seus alunos e responsáveis, compartilhando e pedindo informações. Porém, ao compartilhar sobre a escola, é sempre bom contar o que deseja, que aprecia o apoio e espera com a possibilidade de trabalharem juntos.

Também é válido explicar as decisões de ensino-aprendizagem: reservar um tempo para fazer isso e ajudar a comunidade a aprender sobre o sistema educacional, caso não esteja familiarizada com ele. Da mesma forma, ajudá-los a entender o que o professor faz e por que. Após todo o período de distanciamento, é oportuno convidar as famílias a darem suas opiniões sobre como proceder no futuro. 

Não se esqueça de agradecer, se possível, individualmente e publicamente pelo apoio nessa fase difícil. Os pais ajudaram nas questões sociais, mantiveram os filhos concentrados e empenhados na aprendizagem e em outras atividades, portanto, é válido reconhecer o que fizeram para ajudar no andamento e como isso impactou o quadro geral e individual dos estudantes. Por fim, por uma união completa de escola e família, não deixe de compartilhar cada sucesso. É hora de divulgar as coisas boas também. Deixe os pais saberem o que seus filhos estão fazendo bem, quais habilidades acadêmicas, sociais ou conhecimentos dominam.

Revista Arco 43