Integrando competências socioemocionais ao conteúdo acadêmico

19 de julho de 2021


O mundo está mudando e terminar a escola com conhecimentos em leitura, redação, Matemática, Ciências e afins é importante, mas não suficiente para tornar os estudantes prontos para o êxito acadêmico e profissional. O sucesso na vida adulta também está ligado a competências socioemocionais.

Então, o que isso significa para os educadores? Como eles podem abordar essas competências essenciais com seus estudantes e, ao mesmo tempo, ensinar o conteúdo necessário? Vamos do início.

Na prática, o que são competências socioemocionais?

As competências socioemocionais, no contexto escolar, relacionam-se tanto às diretrizes propostas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) quanto à proposta de Educação para o século 21, da UNESCO.

Na BNCC, as competências socioemocionais estão presentes em todas as 10 competências gerais, porém, uma educação socioemocional completa, com empatia e voltada à tomada de decisão responsável, exige sua promoção nas mais diferentes situações, dentro e fora da escola. Por isso, segundo a Base, o foco também  deve estar no desenvolvimento das cinco competências listadas a seguir:

Autoconsciência

Envolve o conhecimento de si mesmo por cada pessoa, bem como de suas forças e limitações, sempre mantendo uma atitude otimista e voltada para o crescimento.

Autogestão

Relaciona-se ao gerenciamento eficiente do estresse, ao controle de impulsos e à definição de metas.

Consciência social

O exercício da empatia, do colocar-se “no lugar dos outros”, respeitando a diversidade.

Habilidades de relacionamento

Envolve ouvir com empatia, falar clara e objetivamente, cooperar com os demais, resistir à pressão social inadequada, solucionar conflitos de modo construtivo e respeitoso, bem como auxiliar o outro, quando for o caso.

Tomada de decisão responsável

Parte das escolhas pessoais e das interações em concordância com as normas, os cuidados com a segurança e os padrões éticos de uma sociedade.

Como trabalhar as competências socioemocionais na escola?

Uma abordagem para ensinar competências socioemocionais em sala de aula é integrá-las ao dia a dia, no lugar de mantê-las à parte das habilidades acadêmicas. Por exemplo, para que os alunos desenvolvam autoconsciência, eles devem ter a oportunidade de refletir sobre o quão bem alcançaram uma meta de aprendizagem e sobre as estratégias que usaram para atingir essa meta. Da mesma forma, para realizar com eficácia o trabalho colaborativo, devem aprender a se comunicar de forma eficaz com seus colegas sobre tarefas acadêmicas. 

LEIA TAMBÉM: Entenda a importância do letramento científico desde a Educação Infantil.

Uma outra maneira de incorporá-las é oferecer oportunidades para o envolvimento com os colegas. Faça-os falar e interagir positivamente. Crie situações para que demonstrem empatia. Digamos que, se você estiver trabalhando em uma tarefa de redação, permita que a turma trabalhe junta para explorar as ideias. Se estiverem lendo ou estudando um novo conceito, sente-os em círculo ou em pequenos grupos e deixe que discutam como o tema se relaciona entre eles. Em uma aula de Matemática, o trabalho em conjunto também pode ser aplicado na resolução de um problema. 

Quando os estudantes têm tempo e espaço para parar e pensar sobre suas decisões, ações ou progresso, eles são capazes de desenvolver as competências socioemocionais necessárias para gerenciar suas emoções, planejar o futuro e tomar decisões saudáveis. 

Fonte: Competências socioemocionais como fator de proteção à saúde mental e ao bullying.