O que é design thinking na educação e como ele se encaixa na sua sala de aula?

27 de janeiro de 2022


Mais um ano letivo está começando e os educadores elaboram o cronograma de atividades escolares, buscando metodologias inovadoras e eficientes. Você conhece o que é Design Thinking? Ele vem sendo utilizado em diferentes áreas, por ser uma abordagem para resolver problemas com criatividade e empatia, ao promover a interação entre as pessoas. Os professores, inclusive, podem explorar o Design Thinking na educação por meio de projetos, trabalhos e desafios passados aos alunos.

Antes de tudo, o que é Design Thinking?

É uma estratégia de resolução de problemas que divide o processo em etapas, para que haja a melhor organização das ideias e, assim, a promoção de soluções criativas e assertivas. Além disso, a abordagem estimula o trabalho coletivo e defende a ideia de que a participação de diversas pessoas ocasiona diferentes pontos de vista, que podem ser úteis.

As técnicas do Design Thinking para educadores são enriquecedoras, pois levam aos estudantes três princípios: a empatia, a colaboração entre indivíduos e a experimentação. Sobre esta última, vale enfatizar que o método acredita que, para existir menos erros ao fim do processo, são necessárias tentativas no transcorrer do projeto; isso também contribui para que se formem ideias inovadoras. Agora que você compreendeu o que é Design Thinking e seus objetivos, que tal entender como aplicá-lo na sua sala de aula?

Como explorar o Design Thinking na educação?

Esta abordagem é ideal para ser aplicada em avaliações de aprendizagem desenvolvidas no decorrer do processo educacional (bimestre, trimestre ou semestre, a depender do calendário escolar). Um de seus benefícios é a versatilidade, visto que pode ser utilizada em diferentes matérias escolares ou, mesmo, em trabalhos interdisciplinares. Ao elaborar a proposta do projeto, o educador precisa dividir a turma em grupos e abordar problemas concretos e atuais, para que os estudantes tenham conteúdo e espaço para discuti-los. Ele também deve criar e seguir um cronograma, pautado pelas etapas do Design Thinking:

  • 1. A descoberta e a interpretação: a turma tem o primeiro contato com o problema exposto pelo professor e, a partir disso, compreende seus desafios se baseando em conhecimentos individuais prévios e na explicação dada em aula. Aqui o educador precisa se preocupar em aguçar a curiosidade dos estudantes, para que se empolguem em resolver o problema.
  • 2.  A criação: por meio da conversa e interação dos alunos, os grupos passam a desenvolver sugestões de solução do desafio. O educador pode encorajá-los a utilizar brainstorms para terem ideias criativas e criar mapas mentais para organizá-las.
  • 3. A experimentação: etapa em que as ideias começam a ser postas em prática como tentativas. Os estudantes precisam estar livres para errar e, assim, conseguem corrigir falhas antes da fase final. O uso de mapas mentais e de storyboards também é importante para a documentação do trabalho e seu bom planejamento.
  • 4. A evolução: após os grupos descobrirem qual solução é melhor graças às tentativas, eles desenvolvem o trabalho final e preparam uma apresentação para o professor e/ou a sala.

Dado que um dos objetivos do Design Thinking é promover a empatia por meio da colaboração entre os jovens, o educador ainda pode sugerir, em qualquer uma das etapas vistas acima, o uso de mapas de empatia, isto é, quadros que os façam pensar nos sentimentos e necessidades dos outros colegas com quem estão interagindo, bem como das pessoas que serão afetadas pela solução do problema.

VEJA TAMBÉM: Propostas para uma sala de aula envolvente

A utilização do Design Thinking para educadores

O papel do professor é de extrema importância, não apenas na elaboração da atividade, mas também no suporte oferecido aos alunos enquanto trabalham. O educador precisa lhes disponibilizar materiais para a investigação, ensinar métodos para se organizarem (como os brainstormings, mapas mentais, storyboards e mapas de empatia vistos anteriormente), acompanhar o andamento das equipes de acordo com o cronograma e, ainda, mediar debates.

Com professores e estudantes trabalhando juntos, ao fim do projeto, os jovens serão beneficiados com a melhoria de muitas capacidades, como a comunicação interpessoal, a inteligência emocional, a organização de tempo, materiais e ideias, a adaptação às mudanças e, claro, a resolução de problemas de forma clara. Além disso, estarão engajados por alguma causa da atualidade e terão aprendido muito.

Você, educador, gostou de saber o que é Design Thinking? Que tal colocar a abordagem em prática com seus estudantes em 2022?