Arte na escola: motivos para estudar Frida Kahlo

15 de julho de 2022


Em seis de julho de 1907, em Coyoacán, na Cidade do México – México, nascia uma das artistas mais proeminentes da história: Frida Kahlo. Julho também é o mês em que a pintora faleceu, em 1954, na mesma cidade.

Após a morte, sua fama cresceu ainda mais e até hoje suas pinturas batem recordes em leilões toda vez que são colocadas à venda. Mas qual é o significado de celebrá-la dentro da arte na escola?

O que Frida Kahlo fez de importante?

Frida começou a pintar na adolescência, usando símbolos, imagens rústicas e cores comuns na cultura mexicana. Ao longo da vida, realizou 143 pinturas, das quais 55 são autorretratos que mergulham em temas como morte, identidade e corpo humano. 

Também era uma ávida defensora dos direitos das mulheres e dos povos indígenas do México, e essa paixão se reflete em seu trabalho.

Por que celebramos Frida Kahlo dentro da arte na escola?

A artista era forte, confiante, corajosa, apesar de ter poliomielite quando criança e lesões na coluna e pélvis após um acidente de carro, jamais recuou quando se tratava de enfrentar desafios.

Entre os mexicanos, ela é admirada por chamar a atenção para a cultura mexicana e indígena. Entre as feministas por retratar as experiências e formas das mulheres.

Preparar atividades sobre Frida Kahlo pode ajudar aos alunos não só a aprender mais sobre um movimento artístico, no caso o Surrealismo, como também servir para lembrar a si mesmos de que, mesmo quando confrontados com dificuldades, é possível alcançar grandes coisas.

Para ajudar nessa, a Editora do Brasil tem duas grandes obras, um livro didático voltado ao Ensino Médio e um literário, ideal a partir da educação infantil. 

Frida e a Joaninha Flora

Em Frida e a Joaninha Flora, livro de Mércia Maria Leitão e Neide Duarte, uma joaninha voa para cá e para lá, descobrindo cores, cheiros e sabores. De repente, algo inusitado acontece: ela se vê parte de uma obra de arte!

Integrando a Coleção LerArte para Pequenos, esse livro traz um texto poético e ilustrações cheias de cores marcantes, para que as crianças possam se divertir e aprender mais sobre Frida Kahlo e suas famosas pinturas. Também oferece atividades lúdicas para que os pequenos possam colocar tudo isso em prática, uma ótima forma de estar em contato com a arte desde cedo.

Panorama da Arte: do paleolítico ao contemporâneo

Este livro proporciona aos estudantes um mergulho na cronologia da História e da História da Arte, dando oportunidade para que estabeleçam relações entre as diferentes produções artísticas ao longo do tempo, percebam a singularidade das linguagens artísticas e compreendam a função social de cada manifestação artística em seu tempo, sua cultura e sua comunidade.

Quanto à apreciação estética, o livro traz ferramentas para que o aluno seja capaz de perceber a importância do processo de criação e entenda o que significa apreciar uma obra de arte visual, escutar uma música, observar os movimentos de uma dança e assistir a um espetáculo teatral. Sempre considerando as influências do meio e dos fatos históricos, sociais, políticos e culturais na produção do artista plástico, do compositor, do dramaturgo e do dançarino.

Assim, o estudante torna-se capacitado para identificar os signos estéticos como ato de criação da forma em múltiplas expressões. Bem como, para entender que, na apreciação estética, não há juízo de valor; as concepções estéticas são formadas a partir da história cultural, antropológica, filosófica e sociopolítica, e as diferenças existem para serem apreciadas sem preconceitos. Só se avalia e respeita o que se conhece.

Assim, mesmo que não haja uma unidade focada em Frida Khalo, o estudante aprende a enxergá-la dentro do panorama da arte!