Como fica a relação escola e família a partir de agora?

28 de setembro de 2020


A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) remodelou os relacionamentos pessoais e profissionais de maneira sem precedentes. Do mesmo modo, forçou todos a viver mais próximos de algumas pessoas e mais distantes de outras. Assim, vida em confinamento, fisicamente aproximou famílias e as distanciou de comunidades, como a escola. Mas, virtualmente, as relações não deixaram de existir. A partir dessa remodelagem, o que se pode esperar da relação escola e família daqui para frente?

Segundo a pesquisa “A situação dos professores no Brasil durante a pandemia”, realizada entre os dias 16 e 28 de maio pela Nova Escola, 31,9% dos docentes afirmam que a maioria dos pais e responsáveis têm participado das atividades a distância. Ao passo que, na rede privada, a participação familiar é de 58%. Na rede pública, 36%.

ensino híbrido

Mas será que essa participação se manterá no “novo normal”? O ideal é que sim! Mas, para isso, é hora de uma abordagem diferente. E se perguntássemos às famílias suas sugestões sobre como definir as expectativas certas para o futuro? E se a relação escola e família se der por meio das experiências relatadas? Diálogo é sempre um passo importante.

Benefícios para os pais

A maneira como as escolas se comunicam e interagem com as famílias têm impacto direto na extensão e qualidade desse envolvimento. Por exemplo, escolas que comunicam apenas más notícias sobre o desempenho dos estudantes e nunca reconhecem a excelência destes, tendem a desencorajar o envolvimento dos pais. 

É comum que eles sintam que não podem ajudar efetivamente seus filhos. Ou seja, essa mediação tem de ser feita tanto para comunicar o negativo, quanto o positivo. Os pais não são apenas o contato para emergências, são um apoio muito bem-vindo na hora de lidar com todo o processo educacional.

Por outro lado, ao se permitir participar, as famílias podem obter da escola ideias sobre como ajudar e apoiar os jovens. Além de aprender mais sobre o programa acadêmico e como ele funciona. Como resultado, podem ser tornar mais confiantes quanto ao valor de sua presença na educação dos filhos.

Benefícios para estudantes e professores

Existem evidências substanciais de que o envolvimento dos pais aumenta o desempenho acadêmico dos estudantes. Tal relação gera motivação para a aprendizagem, melhoria do comportamento, frequência regular e uma atitude mais positiva em relação aos trabalhos de casa e à escola em geral.

Quanto aos benefícios do professor, ao ter mais contato com os pais, eles aprendem sobre as necessidades de cada discente e como podem aplicar-se para melhor atendê-las. Além de alcançarem visões mais positivas dos pais sobre o trabalho feito, o que tem impacto direto na moral e aplicação do próprio docente.

Quanto mais pais e professores compartilharem informações relevantes uns com os outros, mais bem equipados estarão para ajudar os estudantes a alcançarem seus resultados acadêmicos.

Relação escola e família deve ser constante

Boas oportunidades de comunicação incluem: conferências e conselhos de classe; pastas semanais ou mensais de trabalhos dos estudantes enviadas para casa para revisão e comentários; telefonemas; aplicativos, e-mails ou sites da escola; assim como estratégias de comunicação e marketing bem claras.

O contato pessoal é ideal, mas, após a pandemia, ficou claro que o estabelecimento de uma relação escola e família é mais complexa do que isso e deve ser constante, não apenas em oportunidades físicas.

A grande diversidade entre as famílias faz com que não seja possível contar com um único método de comunicação para que a mensagem chegue. É essencial uma variedade de estratégias, adaptadas às necessidades específicas de cada comunidade. 

Por onde começar?

É ideal os professores iniciarem o contato assim que souberem quais alunos estão em sua sala de aula. Ao passo que, esse contato pode ocorrer por meio de um bilhete apresentando-se aos pais e estabelecendo as expectativas quanto ao processo pedagógico de ambos os lados.

O papel da escola é apresentar comunicação de forma clara e útil. Nesse sentido, pais e professores devem ter as informações de que precisam para ajudar os discentes em uma forma e linguagem que faça sentido para todos.

Em resumo, a relação escola e família parte da apresentação. Antecipadamente, diga aos pais o que filho está estudando. Desde já, convide-os para uma visita. Do mesmo modo, comente sobre o progresso alcançado. Seja como for, permita-os participar!

As famílias não estão acostumadas a ouvir comentários positivos não solicitados de professores sobre seus filhos. Imagine como você se sentiria, como pai, se fosse contatado por um educador e ele lhe dissesse que seu filho ou filha está indo bem na escola ou que superou um problema de aprendizado ou comportamento.

Em outras palavras, ao dar esse passo de compartilhar informações positivas, a surpresa pode gerar excelentes resultados. Então, definitivamente, permita-se tentar!