Impactos da pandemia na educação: relatório alerta para cenário de desilusão

11 de março de 2021


A 16ª edição do “Relatório de Riscos Globais”, do Fórum Econômico Mundial, foi divulgada recentemente e, para a preocupação de todos, a situação dos jovens no mundo é colocada na categoria de “perigos claros e atuais”. Segundo o documento, graças à disrupção ocasionada pelo novo coronavírus (Covid-19), a geração atual enfrentará sérios desafios relacionados às perspectivas econômicas e à saúde mental. Da mesma forma, os impactos da pandemia na educação serão sentidos a longo prazo em suas vidas.

Segundo o documento, a “desilusão da juventude” é um dos principais riscos negligenciados, que se tornará uma ameaça crítica para o mundo nos próximos dois anos. Isso porque as perspectivas para esta geração, que já tinham sido diminuídas por degradação ambiental, aumento da desigualdade (de muitos tipos), violência e outros fatores, foram impactadas também pela grande assimetria no acesso ao digital.

Sistemas educacionais frágeis

O ano de 2020 trouxe algo sem precedentes em se tratando dos desafios para a educação global. Durante a primeira onda de pandemia e isolamento social, 80% dos estudantes em todo o mundo estavam fora da escola. Isso mesmo com as adaptações de ensino remoto via televisão, rádio e internet. Pelo menos 30% da população estudantil global não tinha a tecnologia para participar da transmissão de aprendizagem.

Com o fechamento das escolas, os estudantes provenientes de famílias de alta renda foram beneficiados por um aprendizado direcionado e mais individualizado. Em contrapartida, os mais pobres lutaram para participar de oportunidades educacionais na ausência de conectividade digital, suporte adulto ou espaço adequado para estudar em casa. O relatório também ressalta a importância que a instituição escola tem para muitos desses jovens, sendo um lugar seguro, com acesso à comida. Ao fecharem suas portas, estatisticamente, impactam em maiores chances de os estudantes serem recrutados por criminosos ou mesmo se tornarem vítimas de trabalho infantil, tráfico humano e outras violências.

O fechamento das escolas é apontado, também, como problemático para o futuro e desempenho acadêmico desses jovens. Assim como responsável pelo aumento das taxas de abandono escolar, impacto este que será sentido especialmente pelos discentes que estão no Ensino Médio ou no Ensino Superior. Tais dados são extremamente preocupantes e indicam um cenário desalentador, de recuperação lenta e longa. Ademais, totalmente dependente da agilidade das medidas que serão tomadas nos próximos meses. 

Impactos da pandemia na educação na educação brasileira

Os impactos da pandemia na educação brasileira foram mapeados na publicação “Retratos da Educação no Contexto da Pandemia do Coronavírus – Um olhar sobre múltiplas desigualdades”. Os cinco estudos reunidos neste documento foram realizados entre maio e julho de 2020 e se propuseram a coletar dados e depoimentos sobre o ensino no país. 

É apontado, por exemplo, que três meses depois do início da suspensão das aulas presenciais, cerca de 4,8 milhões de estudantes (18% do total de alunos do Ensino Fundamental e Médio da rede pública), não receberam nenhum tipo de atividade, nem por meios eletrônicos, nem impressos. Além disso, mais de quatro em cada dez estudantes, o equivalente a 42%, não teriam, segundo seus familiares, equipamentos e condições de acesso adequados para o contexto da educação não presencial.

Ernesto Faria, um dos participantes do estudo e diretor-fundador do Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), aponta que um dos grandes impactos a ser sentido ainda em 2021, será o aumento da evasão escolar. Mais de um em cada quatro jovens do Ensino Médio já pensou em não voltar para a escola ao final do período de suspensão das aulas, segundo estudo realizado pelo Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) e por parceiros. 

Fonte: The Global Risks Report 2021 | World Economic Forum; Relatório alerta para cenário de desilusão do jovem em razão da pandemia; Estudo reúne pesquisas sobre educação na pandemia.

revista Arco 43