O que é o Relatório Nacional da Alfabetização Baseada em Evidências (Renabe)?

9 de agosto de 2022


Lançado em abril pelo Ministério da Educação (MEC), em resumo, o Relatório Nacional da Alfabetização Baseada em Evidências (Renabe) é um documento que consolida experiências bem-sucedidas de alfabetização desenvolvidas em diversos países, além de ser uma excelente ferramenta para auxiliar os gestores da educação na elaboração de políticas educacionais para os primeiros anos escolares.

O Renabe é fruto direto da Política Nacional de Alfabetização (PNA) estabelecida em 2019 com o objetivo de orientar os programas, práticas, políticas e ações com base em experiências derivadas da Ciência Cognitiva da Leitura.

Entenda o Renabe

O Relatório Nacional da Alfabetização Baseada em Evidências é composto por dez capítulos que representam os dez eixos da Conferência Nacional de Alfabetização Baseada em Evidências (Conabe), realizada em Brasília em outubro de 2019, divididos em três subconjuntos:

  • A parte I apresenta estudos sobre os fundamentos para compreender a aprendizagem e o desenvolvimento da leitura, escrita e matemática. Discute as Ciências Cognitivas, as pesquisas translacionais, as bases neurobiológicas da aprendizagem e do desenvolvimento da leitura, da escrita e de sua relação com a matemática;
  • A Parte II trata do ensino e da avaliação das habilidades de leitura e escrita, com destaque para a aprendizagem e o ensino que respeitam as particularidades da aprendizagem em contextos variados quando se tem diversidade linguística, cultural e biológica;
  • A Parte III analisa documentos curriculares, legislação e políticas públicas fundamentadas em resultados sistemáticos de pesquisas. Essas análises permitem identificar tendências comuns entre países que vêm avançando nos resultados de aprendizagem de seus alunos e que se valeram do uso de evidências como norte para suas normativas curriculares e de formação de professores. 

Assim, os capítulos do relatório de alfabetização abordam temas como:

  • Ciências cognitivas e pesquisas translacionais em alfabetização;
  • Bases neurobiológicas da aprendizagem da leitura e da escrita;
  • Aprendizagem e desenvolvimento da leitura e da escrita;
  • Numeracia e ensino de matemática básica;
  • Abordagens e práticas de ensino da leitura e da escrita;
  • Autorregulação comportamental, cognitiva, emocional e motivacional no processo de alfabetização;
  • Dificuldades e distúrbios da leitura e da escrita e desafios na alfabetização em diferentes contextos;
  • Avaliação e monitoramento da aprendizagem de leitura, escrita e matemática básica;
  • Planejamento e orientações curriculares para o ensino de literacia e numeracia; 
  • Formação e desenvolvimento profissional de professores.

Mas afinal, o que é alfabetização baseada em evidências?

Segundo o próprio Renabe, “uma alfabetização baseada em evidências é aquela que emprega procedimentos e recursos cujos efeitos foram testados e se mostraram eficazes” (2022, p. 28).

 

LEIA TAMBÉM: O que é o método fônico de alfabetização?

Para isso, pode-se empregar diferentes fontes de evidências, como observação, documentos, depoimentos, entrevistas, experiências, raciocínio, revisões sistemáticas da literatura, pesquisas observacionais e experimentais e meta-análises dos dados dessas pesquisas.

Assim, o Renabe se concentra nas evidências da Ciência Cognitiva da Leitura, por esta ser uma área multidisciplinar de estudo científico da aprendizagem e do ensino da leitura e da escrita consolidada em diversos países. Entretanto, não ignora outras abordagens, procurando se concentrar nas evidências de qualidade.

Para conferir o Relatório Nacional da Alfabetização Baseada em Evidências completo, clique aqui!