Ser ou não ser, eis a questão: o teatro como recurso pedagógico

19 de maio de 2022


Não é nenhum grande segredo que envolver as crianças nas artes pode ter grandes recompensas na escola e na vida em geral. Nessa tarefa, elas podem se beneficiar de uma gama diversificada de oportunidades de aprendizado, mas o envolvimento ativo e as experiências interpessoais promovidas pelo teatro como recurso pedagógico têm efeitos positivos comprovados.

Por que trabalhar teatro na escola?

Simples, o  teatro como recurso pedagógico é a melhor forma de arte imersiva, visando vários sentidos simultaneamente. As crianças, como os adultos, geralmente têm diferentes pontos fortes de aprendizado e com a promoção da dramatização, todas as formas têm chances de serem contempladas. A educação teatral pode facilitar a compreensão, o processamento e a retenção da informação pelas pessoas, principalmente temas complexos que envolvem emoções humanas e relações interpessoais.

É importante entender que quando falamos desta forma de arte, não se trata simplesmente de fazer peças. A  importância do teatro na escola vem de sua mágica aplicação de técnicas de aprendizado das mais diversas disciplinas, como para ajudar a assimilar conhecimentos específicos de Matemática, Línguas ou História, por exemplo.

Os benefícios do teatro como recurso pedagógico

Seja você uma criança ou um adulto, a capacidade de manter a calma e seguir em frente é o que impede que um pequeno erro se transforme em um grande problema. Ao inserir o teatro como recurso pedagógico, uma das melhores coisas que as crianças descobrem é como pensar rapidamente e/ou como improvisar para si ou para ajudar um colega em apuros. 

E essas são ótimas habilidades que, se transferidas para a sala de aula, operam milagres, seja fazendo uma apresentação na frente dos colegas ou sendo chamado para responder a perguntas. Afinal, convenhamos, até os adultos ficam nervosos quando têm que falar na frente de um público. Aprender desde cedo a lidar com o nervosismo dá às crianças uma vantagem.

Outro benefício do teatro como recurso pedagógico é o desabrochar da subjetividade dos pequenos indivíduos que chamamos de alunos. É uma forma de se colocar no mundo, se descobrir ou até tratar o medo de ser alguém. Em uma peça, mesmo que por um curto período de tempo, você se torna outra pessoa. Para uma criança que luta para falar sobre seus sentimentos, há um tremendo alívio em desaparecer atrás de um personagem e usá-lo como um intermediário por meio do qual se abre. Desempenhar o papel de outra pessoa também ensina as crianças sobre empatia. 

Como fazer uma dramatização em sala de aula?

Para esta tarefa a nossa dica é a coleção Akpalô Arte para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental, que foi pensada e desenvolvida baseada no que propõe a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), ou seja, que as linguagens do componente curricular Arte – Artes Visuais, Dança, Música e Teatro – sejam articuladas às seis dimensões do conhecimento (criação, crítica, estesia, expressão, fruição, reflexão). A  coleção ainda tem conteúdos e ferramentas digitais disponíveis no Laboratório Educacional Brasil (LEB), um ambiente virtual especialmente elaborado para proporcionar uma experiência dinâmica e transformadora com o conhecimento.

Acesse o portal da obra!

Ao inserir o teatro como recurso pedagógico, é notável que as habilidades aprendidas com a performance são importantes, mas a experiência da própria performance é inovadora para uma criança. Ela pode nunca aplicar as habilidades de improvisação que aprendeu a uma equação matemática ou transformar seu trabalho em equipe em um projeto de liderança, mas só por ter feito parte do processo e, assim, exposta a uma nova maneira de pensar e fazer, sua vida será transformada.